/ Proyectos / Cozinha Comunitária

Cozinha Comunitária

Uma proposta de apoio efetivo para trabalhadores informais do ramo da alimentação.
Descripción

Em 2015, cerca de 79 mil pessoas exerciam atividades informais no ramo de alimentação no Brasil – número que saltou para cerca de 480 mil pessoas em 2018, segundo dados da Abrasel. Em 2019, cerca de 39,3 milhões de pessoas exerciam atividades remuneradas como informais em todo o território nacional (IBGE) – ou seja, o número de trabalhadores informais neste setor aumenta a cada ano, oferecendo não somente concorrência desleal para os estabelecimentos regulamentados como também risco de saúde aos consumidores. Embora a situação seja um problema, muitas pessoas estão sobrevivendo dessa forma como complementação de renda ou provendo o próprio sustento – e, muitas vezes, o sustento de toda uma família. Soma-se a isso o fato de que a pessoa que começa a “vender comida” por necessidade não tem tempo ou condições financeiras de se formalizar dentro da legislação do município – que não permite que qualquer pessoa abra um MEI, produza brigadeiros em casa e saia na rua para vender mediante o porte de um alvará, por exemplo. É preciso possuir uma estrutura física separada de sua residência com uma série de exigências e de adequações dependendo do tipo de atividade exercida – e o grande problema é que o trabalhador informal deste ramo não consegue, por meio das estruturas existentes, trabalhar legalmente. Ele tende, assim, a permanecer na informalidade.

A partir do momento em que a estrutura necessária é fornecida de maneira acessível, a probabilidade de as pessoas se formalizarem, se estruturarem e se empoderarem é maior – e a sobrevivência desses pequenos negócios se torna também mais duradoura. Por isso, este projeto se destina a resolver o problema em duas frentes: mapeando os trabalhadores informais do ramo da alimentação em Jaraguá do Sul e propondo uma “incubadora de negócios de comida” – ou seja, oferecendo uma estrutura onde o trabalhador/empreendedor possa produzir com segurança e higiene e que também ofereça suporte administrativo, legal e de marketing por um determinado período de tempo e a um preço acessível, para que ele possa fomentar seu próprio espaço em um futuro próximo, dando lugar a outro pequeno negócio.  A intenção é fornecer o apoio que estava faltando para melhorar a qualidade de vida e profissionalizar quem encontrou no ramo da alimentação uma forma de viver de forma digna.

*crédito da imagem: Unsplash

A qué necesidades responde
Formalizar trabalhadores que exercem atividade remunerada informal no ramo da alimentação através de uma estrutura de apoio global – físico, administrativo e comercial – por tempo determinado.
Necesidades
Materiales
Herramientas

Colaboradores/as del proyecto

.

Otros proyectos en el mismo Laboratorio

.

Tecnologia por uma cidade mais segura para meninas e mulheres.

¿qué quieres encontrar hoy?

Ir al contenido